A nossa capa chama-se Queijeira, e foi desenhada a partir do círculo, forma simples do queijo.

A simplicidade serve de mote para o conceito criativo, para o corte, os acabamentos e para o nome.

A beleza natural do burel fica em evidência, em três versões diferentes: uma capa mais curta e prática, uma capa mais comprida que é um statement de estilo e uma Queijeirinha para as crianças.

Desenha-se um círculo que se fecha mas sempre volta onde começa. Presenciar o suceder das estações, das gerações, da sabedoria da serra, dos animais e das plantas. Do fazer, lento, suspenso no tempo. O que é verdade desde sempre, perdura mas reinventa-se. Desenha-se um círculo que se fecha mas sempre volta onde começa.

A capa está disponível em vários tamanhos e várias cores e vesti-la é não só uma homenagem a estas mulheres excepcionais, mas também uma afirmação pessoal de apoio a uma peça portuguesa, sustentável e de impacto. Produzida localmente, com matérias-primas naturais e autóctones, é uma peça de design português que dá suporte à comunidade das Aldeias de Montanha.

A cor como expressão da personalidade.

As Queijeiras são mulheres multifacetadas, tal como todas nós. Associámos cada cor do burel a um dos atributos que caracteriza, tantas vezes, a paisagem interior de cada mulher. Da serenidade à força, da sabedoria à determinação, cada Queijeira é única.

Ao fazer a encomenda da sua capa, ela ser-lhe-á entregue cerca de 3 semanas depois, via CTT. Brevemente será possível levantar a capa num dos nossos pontos de entrega.